Buscar

Every Breath you Take – The Police.

Atualizado: Ago 15

Como a música mais tocada na história do rádio foi mal interpretada pelo público.



Lançada em 20 de maio de 1983, um mês antes do álbum Synchronicity, Every Breath You Take tornou-se a música símbolo do The Police, tendo ficado 8 semanas em primeiro lugar na lista de singles mais vendido dos Estados Unidos e 4 semanas na lista de singles mais vendida do Reino Unido, tornando-se o single mais vendido do ano e quinto mais vendido da década.


Ao contrário de canções que estouram e depois caem no esquecimento, o sucesso da música tornou-se permanente, a música ainda gera para Sting em média 2 mil dólares por dia de royalties. Em 2019 a BMI reconheceu Every Breath You Take como a música mais tocada no rádio, ultrapassando 15 milhões de reproduções, o que representa ser tocada a cada minuto, todos os minutos desde seu lançamento!


A música, visto pela maioria do público como romântica, esconde em seu brilhante arranjo, os tons sombrios de sua letra.


Sting escreveu a música em 1982, logo após a separação de sua primeira esposa e o início de seu relacionamento com a atual. Este período foi conturbado para o compositor visto a condenação pública do relacionamento.


De acordo com uma entrevista para a BBC Radio 2, “a música é muito, muito sinistra e feia e as pessoas realmente a interpretaram mal como uma canção de amor suave, quando é exatamente o contrário”. O músico revelaria depois ficar desconcertado com a quantidade de pessoas pensam que a música é mais positiva e leve do que realmente é. Ele insiste que o tema da música é a obsessão com um amante perdido, o ciúme e a vigilância que se seguem (Cada respiração que você toma, cada movimento que você faz, cada elo que você quebra, cada passo que você dá ... eu estarei te observando). A letra original da música, disponível apenas no multitrack da gravação como voz guia para o vocal final, é ainda mais sinistra.


O vídeo da música, dirigido por Godley & Creme e inspirado no curta Jammin' the Blues de Gjon Mili's, é uma obra de arte a parte, tendo sido reconhecido pela MTV, Rolling Stones e VH1 como um dos melhores vídeos de todos os tempos. A fotografia em preto e branco, as expressões de melancolia de Copeland e Summers enquanto Sting demonstra quase raiva, reforçam o clima sombrio da música.


Mas se todas estas características entregam o real sentido de Every Breath You Take, o que a tornou, na visão do público uma “canção de amor suave”?


Por um lado, pequenos detalhas do arranjo criam uma sensação envolvente e íntima: Contrapondo uma caixa seca e alta da bateria, o bumbo é leve e marca a música com um ritmo que parece uma batida de coração. Sting canta em um tom romântico, suave e carinhoso, que associada a incrível melodia de guitarra de Andy Summers, frágil, rítmica e espaçada, passa a sensação de ser uma canção de amor. Apesar de vocais mudarem quando entra a frase “desde que você partiu”, com a voz subindo em tom e demonstrando quase um desespero, geralmente associado a corações partidos, o tom volta a ser calmo, suave e carinhoso, passando a sensação de que tudo voltou ao normal na estrofe seguinte.


Por outro lado, a visão do público talvez não seja uma má interpretação do sentido da música, mas sim uma demonstração da má interpretação que nossa cultura tem do amor: que ele vem acompanhado de sofrimento, que ele é possessivo, etc., afinal, como o próprio Sting colocou, nem ele “tinha percebido a época o quão sinistra a música era”.


O vídeo da música, dirigido por Godley & Creme, é reconhecido como um dos melhores de todos os tempos.


Gostou? Compartilhe com os amigos!


#ThePolice #EveryBreathYouTake #Anos80

© 2020 by Black / Blue Rock News

  • White Facebook Icon