Black Blue Cab.png
Buscar

Resumo Semanal 07

Uma semana de luto no rock: o baterista do Slipknot e o baixista do ZZ Top morrem.




Joey Jordison o baterista fundador do Slipknot morre aos 46 anos de idade: Jordison formou o Slipknot em sua terra natal, Iowa, em 1995, junto com o percussionista Shawn Crahan e o baixista Paul Gray. Com o Slipknot, Jordison ganhou um Grammy de melhor performance de metal (2005) por "Before I Forget". Foi uma das sete indicações ao Grammy que recebeu por seu trabalho com a banda. O Slipknot anunciou em dezembro de 2013 que Jordison e a banda estavam "se separando" depois de quase duas décadas juntos, embora o baterista tenha dito mais tarde em entrevistas que ele foi demitido. Jordison formou a banda Scar the Martyr em 2013, enquanto ainda tocava com o Slipknot e com o Sinsaenum antes de sua morte. Via Billboard.



Baixista do ZZ Top, Dusty Hill morre aos 72 anos de idade: Hill, que tocou com o trio de blues-rock do Texas por mais de 50 anos, morreu na terça-feira aos 72 anos. Seu representante confirmou a morte do músico, mas disse que a causa da morte era desconhecida. Hill não era o baixista original do ZZ Top, mas ele se juntou pouco antes de eles gravarem seu LP de estreia, o primeiro álbum do ZZ Top, em 1971, e permaneceu uma parte essencial do grupo durante seus álbuns e turnês mais recentes. Durante todo esse tempo, a formação permaneceu apenas em Hill, Gibbons e Beard, tornando-os uma das bandas mais estáveis da história do rock. Via Rolling Stone Magazine.

Pink Turns Blue | You Still Mean Too Much to Me: A icônica banda pós-punk/darkwave Pink Turns Blue anunciou que seu novo álbum 'Tainted' será lançado no outono em vinil de edição limitada, CD e digitalmente pela Orden Records. Antes disso, eles apresentam seu novo single 'You Still Mean Too Much To Me', seguindo os singles principais 'There Must Be So Much More' e 'So Why Not Save The World'. Este álbum é o resultado de um tempo bem gasto no último ano de bloqueio escrevendo, gravando, mixando e masterizando o novo álbum em seu estúdio de gravação em Berlim. Em ‘Tainted’, a banda adicionou um elemento eletrônico a seus vocais clássicos, guitarra, baixo e bateria. O próprio título do álbum está relacionado ao estado de nosso mundo: mudança climática, seus efeitos, a reação a ela, a divisão na sociedade, isolamento, riscos à saúde e incerteza financeira. Mais informações.


As The Palaces Burn | For The Weak: Com a nova identidade visual, As The Palaces Burn estreou a música ‘For The Weak’, o primeiro single do novo álbum de estúdio. Para promover esta nova fase, o single chega com o lyric video oficial. “'For The Weak' é uma amostra do que vamos trazer no novo álbum. A faixa aborda em seu tema a crise no âmbito geral da existência do ser humano e o cansaço mental somados à crise existencial”, explica o guitarrista Diego Bittencourt. "Aguardem um álbum moderno e sofisticado!", ressalta o vocalista Alyson Garcia. As The Palaces Burn apresenta uma sonoridade voltada ao metal moderno. A banda une o domínio técnico com influências do heavy metal old school para criar Riffs fortes e pesados, acentos e tempos quebrados na medida certa. As The Palaces Burn irá provar que a música visionária nunca usa uma etiqueta de gênero. Assista For the Weak.


The Great Leap Forward | Revolt Against an Age of Plenty: Alan Brown, vocalista do ícone postpunk bIG * fLAME, lançará 'Revolt Against An Age of Plenty' em 30 de julho, seu primeiro álbum em nove anos sob o nome de The Great Leap Forward pela A Turntable Friend Records. Estará disponível como um LP gatefold de vinil duplo colorido, e também para download digital e em CD gatefold com livreto de letras de 16 páginas. Que melhor maneira de anunciar o novo lançamento do que um vídeo cativante para a faixa-título, um prenúncio vibrante do que está por vir neste álbum de 13 faixas vigoroso, cintilante e de afirmação da vida. Protestando contra o consumismo em massa e o controle da mídia, o vídeo e as imagens de 'Revolt Against An Age of Plenty' foram criados por Richard Gardner. Mais informações.


Hranice Abyss | Aphagy: Hranice Abyss | Aphagy: Com diversas influências, que vão desde The Black Dahlia Murder, Cattle Decaptation, Necrophagist, Death, Lamb of God e Slayer, misturando-se com visões mais modernas de bandas como Meshuggah, Slipknot e Decapitate, Hranice Abyss é a nova aposta na cena Death Metal / Deathcore, entregando um trabalho profissional e moderno com letras reflexivas. “Visitamos a psicanálise freudiana e, usando a poética byronsoniana, questionar onde se encaixa o homem pós-moderno, seus complexos e traumas, a ressignificação da vida, das relações afetivas. Nesse mundo midiático onde tudo é produto e os espaços mentais vão chegando menor, queremos enfrentar o abismo e contemplar o vazio que atormenta nossa alma para encontrar nosso significado e transformá-lo em arte”, explica a banda. Ouça Hranice Abyss.


Vinaa | Mina Negra feat. Dicy Rocha e Núbia: Single faz parte do álbum ‘Fé de Alimária’, que será lançado em homenagem a compositores do Maranhão. A versão de Vinaa para a música, lançado originalmente por Betto Pereira no álbum ‘Terecô’ em 1992, conta com participações das cantoras Dicy Rocha nos backing vocals e Núbia, que apresenta sua voz em dueto com o cantor. "'Mina Negra' é uma canção que representa muito a energia de minha cidade, São Luís. Então, essa música é um convite não só para as pessoas conhecerem o disco, mas também para conhecerem o que existe no Maranhão, a nossa Jamaica brasileira", explica o cantor. Ouça to Mina Negra.


H2SO4 | Love and Death: Para os fãs de Pet Shop Boys, New Order e Underworld, a banda indie eletrônica do Reino Unido H2SO4 foi um dos segredos mais bem guardados do final dos anos 90, lançando uma série de singles e vários álbuns na virada do milênio que foram bem recebidos por especialistas e público, com canções que podem ser ouvidas em programas de TV como 'The Sopranos', 'Six Feet Under' e 'Queer As Folk'. Agora, por meio de uma colaboração com a dupla de produção Bombay Monkey, eles criaram um novo álbum impressionante de pop progressivo eletrônico dos anos 80 entrelaçado com paisagens sonoras atmosféricas intitulado ‘Love and Death’, que explora os aspectos mais poéticos e visionários da visão de mundo do quarteto. Assista No Poems.


Prïnceps | Song 2.5: Descrito como uma fusão de The Prodigy, Chemical Brothers, Bring Me The Horizon e The Used, Prïnceps é uma dupla de rock eletrônico baseada em Londres composta por Renz Byrne (cantor) e Marko Press ( baixista e produtor). Seguindo a mesma linha de seus antecessores, "Song 2.5" desafia a categorização fácil, sua linha de baixo provocante sublinhada por uma nova combinação de power chords distorcidos e piano em staccato explodem em hinos centrados em torno da engenhosa combinação de sintetizador e percussão emotiva. É uma criação pronta para o rádio, com um refrão cativante que busca se alojar nos cérebros dos ouvintes desde a primeira audição. Assista Song 2.5.



Curta, Comente Compartilhe!



Photos:

Slipknot @ Claremont Showgrounds (5/3/2012) By Stuart Sevastos, CC BY 2.0

ZZ Top performing in June 2016 (IMG_8527.jpg) by Brian Marks CC BY 2.0

Pink Turns Blue | You Still Mean Too Much to Me album art

As the Palace Burns by Gilson Naspolini

Hranice Abyss | Aphagy album art

Vina by Emílio Sagaz

H2SO4 | Love and Death album art

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo